Da TPM ao suicídio‼

Estudos atuais revelam que uma em cada 25 mulheres apresenta um desequilíbrio hormonal tão grave que pode levar a alterações de personalidade, no período chamado de TPM (Tensão Pré-Menstrual).

Esse fenômeno, tipicamente feminino – e mais acentuado nos tempos atuais, conforme as mudanças do papel reprodutivo da mulher – passa, muitas vezes, despercebido para a própria mulher que o vivencia sem consciência do seu funcionamento.

Algo que só passou a ser observado após o surgimento da pílula anticoncepcional, quando as mulheres já não passavam tanto tempo grávidas. Foi o que permitiu a identificação dos diferentes sintomas.
????Embora ainda identificado por muitos como altos e baixos emocionais da mulher. De fato os hormônios parecem estar numa verdadeira montanha russa, o que leva a diferentes reações.

Hoje se calcula, que a mulher tenha em torno de 500 episódios de TPM ao longo da vida adulta, se não tiver filhos. E uns 300 a 400 quando tem até dois filhos.

No mês ( setembro amarelo) em que se alerta para o risco de suicídio é preciso lembrar que os sintomas da TPM podem desencadear as mais diversas reações femininas.

Eles variam de sensações de tristeza, angústia, pessimismo até pensamentos mais drásticos, como por exemplo, os pensamentos suicidas. Daí a necessidade de acompanhamento profissional quando a TPM interfere na vida de forma considerável.

É sabido que a tensão pré-menstrual costuma preceder a menstruação e em alguns casos, também, durante o ciclo chegando a afetar cerca de 10 a 15 dias da vida da mulher.

Boa parte delas consegue manter a sensação de bem-estar nas duas semanas seguintes depois da menstruação, sem ajuda medicamentosa, algo que deve ser avaliado caso a caso. Isso claro, nas mulheres que ainda não atingiram a menopausa.

FALE CONOSCO

Entraremos em contato o mais breve possível.

Enviando

©2019 Desenvolvido por Agente 2741

× Olá, posso ajudar ?

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?